Carregando...

Calouros da rede pública são maioria na USP pela primeira vez

Levantamento conta aprovados no vestibular da Fuvest e na 1ª edição de 2021 do SiSU

Crédito: Divulgação USP
Crédito: Divulgação USP

Do total de estudantes matriculados em 2021 na Universidade de São Paulo (USP), 5.678 cursaram a rede pública de ensino, o que representa 51,7%. Outro dado é que, desse total de candidatos, 2.504, ou 44,1%, são alunos autodeclarados Pretos, Pardos e Indígenas (PPI).

Os alunos de escolas públicas e PPI integram o sistema de reserva de vagas da USP. Criado em 2017, esse sistema vem crescendo de forma escolada. Confira:

  • 2018: 37% das vagas reservadas
  • 2019: 40% das vagas reservadas
  • 2020: 45% das vagas reservadas
  • 2021: 50% das vagas reservadas

Para Vahan Agopyan, reitor da instituição, com a reserva de vagas, a universidade conta com mecanismos mais proativos para os alunos que vêm do ensino público.

“Essa inclusão social tem sido extremamente significativa para a universidade se enriquecer mais e interagir ainda mais com a sociedade”, avalia o reitor da USP.

Os candidatos ingressaram na USP em 2021 de duas formas: vestibular da Fuvest (organizadora do processo seletivo) e Sistema de Seleção Unificada (SiSU). Em ambas as situações, os concorrentes escolheram entre se inscrever por estas três opções:

  • Ampla Concorrência (AC)
  • Ação Afirmativa Escola Pública (EP)
  • Ação Afirmativa Preto, Pardo e Indígena (PPI)
Dados da reserva de vagas da USP/Crédito: USP

O levantamento divulgado pela USP mostrou ainda que a maioria dos ingressantes PPI são para a Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP), com 56,7%. No curso de Medicina, tradicionalmente o mais procurado da instituição, a quantidade de Pretos, Pardos e Indígenas é de 41,1%.

Renda

A USP também informou que, em 2021, 49,4% dos calouros têm renda familiar bruta entre um e cinco salários mínimos. O número é maior que no ano passado, quando 47,5% tinham esse orçamento familiar.

A quantidade de novos estudantes com renda de até um salário mínimo (até R$ 1.045,00) também cresceu, passando de 2,9% em 2020 para 4,6% em 2021.

Para abraçar o público com menores condições econômicas, a USP afirma que tem ampliado o número de ações da Política de Apoio à Formação e Permanência Estudantil (PAPFE), que disponibiliza apoios e bolsas aos estudantes, como apoio-moradia, auxílio-alimentação, auxílio-livros, auxílio-manutenção e auxílio-transporte.

Ovice-reitor da USP, Antonio Carlos Hernandes, destaca que orçamento para as ações de permanência estudantil cresceu à medida que o número de ingressantes de escolas públicas foi aumentando, gradualmente, até chegar ao índice de mais de 50%.

“O planejamento realizado se mostrou bastante acertado. Hoje, são mais de R$ 250 milhões destinados para atender às condições de permanência dos estudantes”, informa o vice-reitor.

USP 2021

O vestibular 2021 da Fuvest ocorreu em duas etapas. A primeira foi realizada no dia 9 de janeiro e a segunda, nos dias 21 e 22 de fevereiro. O resultado saiu em 17 de março. O processo seletivo ofereceu 8.241 vagas.

Na primeira edição do SiSU 2021, a USP ofertou 2.905 vagas. A lista de aprovados foi liberada no dia 16 de abril.

Unicamp

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) também divulgou que alcançou 49, 8% de alunos oriundos da rede pública de ensino aprovados no Vestibular 2021. O resultado foi divulgado no início de março.

Fonte: Mundo Educação

Calouros da rede pública são maioria na USP pela primeira vez - Autenticus